\ Comer por dois

Antes de contar aqui no blog ou no instagram que estava grávida, eu contei a novidade para algumas amigas mais próximas e quase todas me alertaram para ter paciência com o que viria por aí. Porque é de conhecimento geral que quando uma mulher está grávida, o mundo quer dar pitaco no que ela tem que fazer (alias, esse texto aqui fala exatamente disso).

Esse tipo de coisa (ainda) não está acontecendo comigo com uma frequência que me incomode, mas tem outra coisa que tá me incomodando MUITO e eu queria compartilhar: a história de comer por dois.

8389139c1c6d38a97e2e4cfc5f1af4ec
fonte: http://www.bellatheblog.com/

Qualquer lugar que eu vou que envolva comida, agora tem isso. “Vai comer só isso? (por isso, leia-se, um prato normal e igual ao das outras pessoas) Mas agora você tem que comer por dois, hein?” ou “Pode comer esse bolo/chocolate/doce/besteiras em geral, afinal, você agora está comendo por dois”. Engraçado que eu nunca pensei que justamente isso fosse me incomodar, até eu perceber que esse pensamento pode te levar a uma bela de uma cilada.

Porque vamos combinar, quando falam em comer por dois, ninguém pensa em comer mais peixe, mais frango ou outras coisas saudáveis. E é tentadore muito mais fácil do que eu imaginavaentrar nessa onda de que essa é a hora de enfiar o pé na jaca com força, afinal, existe uma bela (e em breve visível) desculpa para isso.

Desde que eu descobri a gravidez, eu comecei a ir numa nutricionista – mais para saber o que comer e o que evitar – e procurei não mudar muito a minha rotina alimentar: saudável durante a semana, comer de 3 em 3 horas e uma chutaçãozinha leve a moderada de balde nos fins de semana. E estava indo tudo bem e controlado – e eu calhei de não sentir muita fome, como muitas grávidas que eu conheço relataram – até começar o incentivo de comer por dois pelos amigos mais próximos.

giphy

No começo eu não ligava, mas a história só passou a me incomodar de verdade quando eu me via tentando me convencer a cair nessa “cilada” e inventando desculpas para comer coisas que eu nunca fiz muita questão, como doces, por exemplo! A conversa na minha cabeça era algo do tipo: “ah, não estou bebendo mesmo, posso comer um docinho – ou dois”. Não tinha nada a ver com desejo ou fome, era pura e simples falta de vergonha na cara mesmo!

Eu tenho facilidade em engordar e dificuldade de voltar a emagrecer, e mesmo quando não me passava na cabeça ter filhos, eu sempre tive certeza de uma coisa: no dia que eu engravidasse, eu iria fazer o possível para não engordar mais do que o suficiente. Eu continuo com esse objetivo bem claro – e até agora, sob controle – mas não imaginava que a influencia dos amigos poderia mexer tanto com a minha cabeça! Por isso, já pedi delicadamente para os mais próximos não virem com esse papo pra cima de mim, afinal, se formos fazer uma conta aproximada, no momento estou comendo por aproximadamente 1,002 pessoas! rs

547e3ecbeb22f9ac094490d9f48fba78

Como tudo na vida, acho que a palavra chave é equilibrio. Esse não é um momento para paranoias, dietas ou de querer ser musa fitness para o próximo verão, mas também não precisa se descuidar e sair enfiando o pé na jaca, né?

Beijos!

Cá (e baby!)

\ comentários


\ Os mais amados