\ Genderless: A moda sem diferença de gêneros

Ver uma mulher com a blusa do seu pai, namorado ou amigo é normal hoje em dia. Mas, ver um homem usando aquela saia da sua amiga? Ai que tá o ''problema'', a sociedade que define o que é masculino e feminino, a sociedade que vive definindo que azul é para menino e rosa para menina. 

Acho que você já deve ter ouvido falar em algum lugar a palavra ‘’Genderless’’ que significa algo como ''unissex''. Para quem não sabe esse foi o nome dado para a nova tendência, ou melhor dizer, para esse movimento natural e o post de hoje é sobre esse assunto um pouco polêmico ~para alguns, é claro~.



Não é de hoje que pegamos roupas emprestadas do guarda roupa masculino, não é? Essa história surgiu no século XX ~isso mesmo, praticamente à cem anos atrás~ quando mulheres de personalidade fortíssimas, como Coco Chanele Marlene Diertrich, passaram a usar em público roupas do guarda roupa masculino, como calças à la marinheiro. Inclusive no filme Coco Before Chanel tem algumas cenas que retrata bem isso, onde a famosa estilista francesa Gabrielle ''Coco'' usa e até customiza roupas do guarda roupa masculino. 


Mesmo que esse movimento já tenha surgido um tempo atrás, nenhuma outra época ele foi tão bem visto como a que estamos vivendo hoje, graças a nossa atual sociedade. Em 2016, podemos tudo ao que diz respeito ao look?! Yes, we can. Seja vestir um vestido super colado, com um saltão e um batom vermelho sangue ou vestir aquele terninho com sapato oxford. Usar determinado tipo de roupa não diz nada, não prova sexualidade nenhuma.

Uma prova disso tudo são as grifes apostando cada vez mais em coleções ''salada mista''.

                                                 COLCCI

JOÃO PIMENTA

OSKLEN

GIG COUTURE

                             HERCHOCOVITCH; ALEXANDRE 

                                             LOUIS VUITTON
Não é a primeira vez que a marca Louis Vuitton mostra que é a favor da não-diferença de gêneros, mas precisava destacar o primeiro vídeo da coleção Louis Vuitton Series 4, primavera-verão de 2016, que foi batizado de ''The Heroine'' e teve um convidado especial, Jaden Smith.

A marca até chamou Jaden Smith de ''um jovem herói de uma nova geração que cultua a liberdade de estilo''.
              
   Jaden Smith, filho de Will Smith, já é bem conhecido no mundo da moda. Jaden confessa que não ver gênero nas roupas e já é super adepto de Genderless. Seus looks são uma mistura do masculino com feminino, entre peças que mesclam saias, camisas e jaquetas.
        
Perai, ta pensando que esse movimento todo é apenas em roupas? No, he cheated. 
Tudo que é relacionado a moda e beleza ta dentro, principalmente acessórios, calçados e até mesmo corte de cabelo. 

Pra quem achava que a Melissa era só coisa de menininha, He cheated again
A marca lançou uma coleção incrível: Dance Machine e ela conta com dois modelos genderless, a flox unissex e a grunge, os dois modelos recebem a numeração até o 44.

Homem pra ser homem tem que ter o cabelo curto? E mulher para ser mulher tem que ter seus belos e cabelos compridos? No, He cheated again and again.

Um exemplo maravilhoso que temos é a Ruby Rose, a modelo e atriz, que se considera ''gender fluid'' e possui uma marca de roupa agênero com a ex-namorada e estilista Phoebe Dahl. 
E mais uma vez Jaden Smith, dessa vez pousando para editorial da revista Vogue, mostrando mesmo pra que veio hein! haha 

E lai se vai... 
Minha opinião sobre o movimento? Como comecei dizendo no post, eu não chamo isso de uma tendência e sim de movimento natural, uma revolução da sociedade atual e claro, evolução. Lutamos por um mundo mais livre, onde queremos que todos os direitos sejam iguais independente do gênero, da cor, da religião.  Apenas procuramos a liberdade em um sociedade que te rotula e é isso que queremos, menos rótulo, menos padrão!
Na minha opinião, acima dos nossos gostos e opiniões pessoais tem que existir o respeito. Você tem o direito de usar o que bem entender, o que te faz se sentir bem, lembrar que uma roupa é só uma roupa e não define carácter de ninguém.

\ comentários


\ Os mais amados